Adeus Derradeiro

O general Raymundo Negrão Torres, falecido na última quarta quarta-feira, dia 05 de julho de 2006, era membro da Academia Paranaense de Letras, titular da cadeira n.10, cujo patrono foi Telêmaco Borba, segundo ocupante Arthur Martins Franco e terceiro ocupante Ruy Wachowski. Pertenceu ainda a várias entidades, entre as quais o Centro de Letras do Paraná, do qual foi vice-presidente; Instituto Histórico e Geográfico, também diretor cultural; Academia de História Militar Terrestre e Instituto de Geografia e História Militar do Brasil, entre outras de âmbito nacional.

Era natural do Pará. Fez carreira no Exército, chegando ao posto de general de divisão. Radicado em Curitiba, dedicou-se à historiografia, destacando-se na defesa dos postulados dos movimentos revolucionários das forças armadas e de temas palpitantes da atualidade.

Devotou-se ao Exército por uma vida inteira, sem perder todavia os vínculos invisíveis com as expressões do espírito, não apenas com as filigranas literárias, mas com as questões sociais por excelência.

Sua bibliografia é extensa. Entre seus livros “Meninos, eu também vi”, “Porque morreram os americanos no Vietnã”, “Para Collor ler na cama”, “De Fernando a Fernando”, “As Epístolas de um General de Pijama”, “Nos porões da Ditadura”, “1964-Uma Revolução Perdida”, “O fascínio dos Anos de Chumbo” e “Nos Caminhos da História”, pode-se aferir ter sido um analista sério e responsável do quadro político brasileiro e internacional, cujos conceitos constaram de publicações freqüentes nas páginas dos jornais e dos compêndios.

Segundo o presidente da APL, Túlio Vargas, “ele foi um interlocutor sensível e atento, que fez da literatura uma nova forma de servir à pátria. A Academia perde um dos seus baluartes.”

A Academia Paranaense de Letras vém sofrendo uma série de desfalques nos seus quadros humanos. Ainda recentemente faleceram o historiador Wilson Bóia, o poeta Oldemar Justus e agora esse crítico contundente das mazelas brasileiras.

Apaixonado pela família, o exército e as letras, é certo que o general-escritor deixará marcas indeléveis de sua trajetória como cidadão, patriota e historiógrafo. Não será esquecido.

Túlio Vargas, cadeira nº23

Luís Guilherme Bergamini Mendes, administrador do site da APL, é Engenheiro de Computação formado pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Mantém o site da APL desde 2001.

Publicado em Artigos