PERSCRUTANDO A VIDA DO ESPÍRITO

O Espírito está em nós ao percebermos o surgimento  do amor, da justiça, da verdade, do bem, da beleza, da vida e da liberdade, coisas que não se encontram no mundo da matéria, mas que são como luzes a guiar nossas inspirações. O encontro de qualquer um de nós com o Espírito se dá de forma virtual, ao observarmos que muitas  coisas são etéreas, simbólicas, mas muito concretas em seus efeitos.

Isto só pode surgir se admitirmos que há uma Fonte Transcendente para condicionar tais fenômenos, uma Consciência Divina, semelhante à nossa consciência individual, mas que habita nosso interior, concretizando assim a prática de todos os valores: pois a presença do mal é ainda a expressão de um bem que se frustra, um desvirtuamento de ação pelo exercício errado da liberdade. Não existe nada que seja mau em si, mas apenas efeitos aparentemente danosos causados pelos determinismos naturais (sic).

Tais valores são reais na observação da beleza, multifacetada na harmonia de um rosto, de uma flor ou de uma paisagem; na ideia de poder, ou as circunstâncias que envolvem a importância de um personagem, de uma situação, de uma  fonte de energia; no amor, a afeição que arrebata as pessoas, unindo-as em carinho e cuidado; na verdade, ou o reconhecimento da consistência lógica das coisas, apesar de tudo que é precário e mutável. A vida é também produto do Espírito, que nos faz valorizá-la e vê-la como um momento de afirmação existencial. A fé é também  fonte no Espírito, que nos induz a  crer que há entre nós uma Providência que sustenta e  guia as aparição milagrosa das coisas.

Ora, a percepção desses fatos não se dá por vias discursivas, mas  resultam de uma percepção intuitiva que não ocorre apenas por meios lógicos, pois os raciocínios e as palavras, ao caracterizar a identificação das coisas, apenas limitam as suas abrangências. Pois quem quer identificar-se com o Espírito deve abandonar todo limite ou restrição, devendo passar a ver tudo sob uma perspectiva de totalidade e inclusão, pois o Espírito está presente e participa de todas as coisas e de tudo que  acontece.

As inúmeras transformações que ocorrem em todos os níveis da realidade não devem nos assustar, pois elas representam as constantes oportunidades que a criação proporciona, ao surgimento do novo no plano existencial. Em acréscimo, a permanente instabilidade de tudo é motivo ainda mais essencial para que percebamos a necessidade da existência de Algo Transcendente que sustenta os acontecimentos aleatórios.

Sem dúvida, a presença da consciência é a afirmação mais cabal de que, sem ela, não encontraríamos nenhum sentido para a ocorrência dos fenômenos e seríamos como animais inferiores a vagar dentro de um abismo. Como reza o princípio ‘Tudo que está em baixo é similar ao que se encontra em cima’, constatamos também que essa consciência é semelhante a uma Consciência Global, manifestação do divino entre nós, como fonte de sua originalidade.

Não reconhecer isso é renunciar a uma explicação redentora de tudo que é criado, seja na forma decaída da materialidade, seja na forma imprecisa dos átomos. A solução é encontrarmos, no mundo virtual, o Espírito presente em todas as coisas, dando sentido à nossa vida, como resumiu ALBERT EINSTEIN: ‘Todo aquele que está seriamente envolvido na busca da ciência se convence de que um espírito se manifesta nas leis da natureza. Um espírito demasiadamente superior ao do homem. Em sua presença, nós, com nossos modestos poderes, devemos nos sentir humildes.’

Acadêmico Antonio Celso Mendes

Publicado em Artigos