ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DE 14 DE JUNHO DE 2017

Aos catorze dias do mês de junho de dois mil e dezessete, no 2º andar das instalações do SENAC, à rua André de Barros, 750, realizou-se mais uma reunião mensal ordinária da Academia Paranaense de Letras, sob a presidência de Ernani Lopes Buchmann, estando presentes os seguintes acadêmicos: Eduardo Rocha Virmond, Chloris Casagrande Justen, Nilson Monteiro, Ricardo Pasquini, Adélia Maria Woellner, Ario Taborda Dergint, Flávio Arns, Maria José Justino, Guido Viaro Neto, Antonio Carlos Carneiro Neto, Rui Cavallin Pinto, Dante Mendonça e João Manuel Simões. Foram justificadas as ausências dos acadêmicos Cecília Maria Vieira Helm, René Ariel Dotti, Albino Freire, Marta Morais e Léo de Almeida Neves. Na abertura da sessão, o presidente Ernani Lopes Buchmann saudou o presidente do Instituto dos Advogados do Paraná, advogado e professor Hélio Gomes Coelho Júnior, convidado da Academia para esta reunião. A seguir houve a apresentação nominal de todos os acadêmicos presentes. O acadêmico Antonio Carlos Carneiro Neto leu o Credo Acadêmico. De imediato, passou-se à pauta da reunião. O convidado fez uso da palavra iniciando pelo destaque da comemoração dos cem anos de fundação do Instituto dos Advogados do Paraná, completados no dia dez de junho de dois mil e dezessete. Ele ressaltou a importância do fundador e primeiro presidente, doutor João Pamphilo Velloso d´Assumpção, e teceu comentários em torno do centenário do IAP. Referiu-se ao momento político nacional e a grave crise econômica que se abate sobre o país. Salientou que será necessário refundar o Brasil em todos os sentidos diante do atual quadro político com repercussão na economia, na ética e na moral pública. Reclamou que a voz do povo necessita ser ouvida, pois nos tornamos prisioneiros de um triste espetáculo. Foi aparteado pelo acadêmico Flávio Arns que se manifestou sobre a política destacando a sua preocupação como ex-presidente nacional da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais com a situação do momento na gestão pública e suas consequências para os menos favorecidos. O acadêmico Nilson Monteiro também fez uso da palavra sobre o tema e a acadêmica Chloris Casagrande Justen citou a importância do Centro Feminino de Cultura dentre as instituições consagradas do nosso estado. Focou que a mulher brasileira, através dos tempos, vem lutando por espaços na sociedade civil e que precisa assumir um protagonismo que não tem assumido na reação nacional. Ao final da dissertação do presidente do IAP, ele agradeceu a todos e entregou exemplares do livro comemorativo ao centenário do Instituto. Nomeados pelo presidente Ernani Lopes Buchmann os acadêmicos Rui Cavallin Pinto e Maria José Justino acompanharam o convidado até a saída do recinto. O presidente confirmou a sua presença na reunião nacional das academias estaduais de letras a realizar-se do dia vinte até vinte e dois de junho em Niterói, no estado do Rio de Janeiro. Serão debatidos no encontro diversos temas de interesse com relevância ao estudo do papel das academias e a abertura de novos canais de comunicação entre elas, além do incentivo a disseminação de academias pelo interior do país. O presidente também acusou o recebimento de convite da União Brasileira de Trovadores para uma reunião no mês de julho na comemoração dos cinquenta anos da seção da cidade de Maringá, Paraná. Foi sugerido o nome da acadêmica Adélia Maria Woellner para se fazer presente como representante da Academia Paranaense de Letras. Foi destacado o acadêmico Nilson Monteiro como organizador do estande da APL na Feira do Livro a realizar-se no SESC na semana de vinte de setembro de dois mil e dezessete. Foi lembrada a sessão solene no dia dezenove de junho às dezoito horas, no auditório da Federação do Comércio do Paraná, para a concessão de títulos de membros beneméritos da APL a Carlos Henrique Sá de Ferrante e Luiz Renato Pedroso. E de membros honorários a Ennio Marques Ferreira, Henriqueta Penido Monteiro Garcez Duarte e Orlando Soares Carbonar. Atendendo solicitação da revista Superinteressante para a indicação do escritor mais representativo do estado do Paraná foi indicado o acadêmico Laurentino Gomes pelos estudos realizados e pesquisador de fontes primárias com mais de dois milhões de livros vendidos. Foi declarada aberta a sucessão da cadeira número trinta e dois da APL, ocupada por último pelo acadêmico José Vanderley Resende. Ficou definido que as inscrições podem ser efetuadas até o próximo dia onze de julho, às dezoito horas, na rua Visconde do Rio Branco, 931, 1o andar, CEP 80.410-001 ou enviados por correio até o prazo limite. O processo de candidatura deve conter ofício dirigido ao presidente da APL, expressando o desejo de concorrer à cadeira citada, acompanhado de curriculum vitae e um exemplar de cada uma das obras do candidato. O candidato deve comprovar, por qualquer meio, viver no Paraná há mais de dez anos. Às 10h30 o presidente passou a presidência da sessão ordinária para o vice Eduardo Rocha Virmond e foi representar a Academia, em companhia dos acadêmicos Chloris Casagrande Justen e Flávio Arns, na reunião marcada com o prefeito Rafael Greca de Macedo. Os temas a serem discutidos dizem respeito a situação do Belvedere e a captação de recursos através da Lei Rouanet. Em seguida foi encerrada a reunião, da qual lavrei a presente ata, assinada pelo presidente e por mim. Curitiba, 14 de junho de 2017.

 

Ernani Lopes Buchmann                Antonio Carlos Carneiro Neto

Presidente                                              2o Secretário