Ata de posse de Chloris Justen

Às 19,30 horas, do dia 20 de março de dois mil e treze, no Teatro Alcides Munhoz, do Clube Curitibano, nesta cidade, reuniram-se em sessão solene, os membros da Academia Paranaense de Letras, sob a presidência do Acadêmico Eduardo  Rocha Virmond, membros do colegiado acadêmico, familiares e  grande número de amigos e admiradores de Chloris Casagrande Justen, para a cerimônia de sua posse na presidência desta Academia Paranaense de Letras, para a qual foi eleita, em 20 de dezembro último para o biênio 2.013-2.014. Antecedendo os trabalhos, se apresentou o quarteto da Camarata Antiqua, que executou peça de Mozart, e, dando início à cerimônia, foi executado o Hino Nacional, acompanhado por todos os presentes. Em seguida procedeu-se à composição da mesa, pelo chefe do cerimonial Carlos Marassi, a qual ficou constituída pela presidência, membros da diretoria e autoridades presentes. Após o pronunciamento do credo acadêmico e a chamada acadêmica pela confreira Adélia Woellner, o  presidente abriu a solenidade, mediante breve alocução, justificando o motivo sessão e expondo as realizações alcançadas durante sua gestão, das quais reputou relevantes as da nova sede e da doação da biblioteca. Prosseguindo exaltou a figura da nova presidente, suas qualidades de inteligência e de escritora e poeta, dotes que concorrem com os de educadora e administradora, de que dá testemunho o Centro de Letras. Lembrou suas relações pessoais de amizade e convivência com a família de Chloris e seu marido, o magistrado Marçal Justen, e, para finalizar,  manifestou  satisfação em vê-la à frente de nossa Academia, cuja gestão será certamente rica e expressiva. Cumprindo o protocolo, o Presidente passou a palavra para o acadêmico Renê Dotti, para a saudação oficial em homenagem à  empossanda. Assomando à tribuna, o orador saudou a presidente eleita e revelou ser esta a primeira vez que uma mulher assume a presidência da Academia, tema de que se serviu para uma breve digressão sobre a imagem da mulher no mundo atual, caracterizada pela conquista da igualdade com o homem, vencendo, para isso,  preconceitos históricos. Abordou depois a cobrança atual das Academias por uma participação mais ampla na vida e ideais da comunidade, compartindo de projetos específicos de setores oficiais e particulares da sociedade. Lembrou, à pretexto, o Movimento Pró-Paraná, amplamente constituído e consolidado, como evocou também o projeto do Museu Geológico e Paleontológico do Parque de Vila Velha, concebido pelo nosso hoje acadêmico João José Bigarella , além da proposta, igualmente relevante, de Chloris Casagrande de tornar obrigatória a inclusão da disciplina  da História do Paraná na rede pública estadual de ensino. Encerrou sua alocução lembrando que o Paraná é um espaço aberto à confraternização de todos os povos, mas não pode descurar da construção de sua própria identidade  e da memória dos ideais e mensagens que o tempo não apagou. Dando seguimento, o neto da nova presidente, Sérgio Justen, executou ao piano a composição de sua autoria, Jogo de Luz,  após o que, teve lugar a cerimônia de posse, mediante a assunção do compromisso e respectivo termo de posse, lido pelo secretário Rui Cavallin Pinto e subscrito pela empossanda, ocasião em que se deu a troca de presidência, seguida de cumprimentos recíprocos e aplausos gerais. Assumindo a direção dos trabalhos, a presidente Chloris Justen deu posse simbólica  a todos os membros do sua administração, nomeando-os pessoalmente para seus respectivos cargos. Feito isso, convidou os presentes para ouvirem o Hino do Paraná, executado pela pianista Dalilla Morgenstern, depois do que teve lugar sua fala, na qualidade de presidente, por meio da qual saudou, de início,  os presentes e agradeceu ter merecido a honra de assumir a direção de nossa casa de cultura e letras, a  mais tradicional e representativa da terra paranaense. Louvada em Kalil Gebran fez depois reflexões  filosóficas e poéticas sobre o sentido da vida e os ideais que  animam sua longa caminhada em direção ao topo da montanha. Confessou sentir que alcançou esse altiplano, mas seu espírito ainda se anima do  mesmo ardor, para enfrentar tantos outros desafios  que se oferecem ao nosso futuro. Nesse sentido anunciou diversos projetos que gostaria de implementar, ao lado da “Semana de História”, como a “Semana  de Literatura”, “A Academia vai à Escola”, “História e Literatura”, “Literatura do Paraná”, a nível superior, como também, entre outros , instituir o prêmio “Flor de Lys”, para homenagear nosso valores e incentivar todos os outros que contribuam para o desenvolvimento material e cultural do nosso Estado.  Agradecendo, encerrou sua alocução pedindo palmas  para que representem nossa homenagem ao povo paranaense e nossa confiança no futuro do Paraná.  Por fim, com o propósito de saudar a comunidade cultural paranaense, a presidente anunciou a participação do barítono Paulo Barato, que acompanhado ao piano por Sérgio Justen, interpretou a música  Sertaneja, com aplausos gerais. Assim, cumprido o protocolo, a presidente  agradeceu a presença de todos e encerrou a solenidade, convidando, porém, os presentes para um coquetel, que teve lugar em seguida, nas mesmas dependências do  Clube Curitibano.

Chloris Casagrande Justen – Presidente

Rui Cavallin Pinto – Secretário

Luís Guilherme Bergamini Mendes, administrador do site da APL, é Engenheiro de Computação formado pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Mantém o site da APL desde 2001.