ATA DO CAFÉ DA MANHÃ DE NOVEMBRO

Aos nove dias do mês de novembro de 2016, no salão do SENAC, previamente reservado, reuniram-se os acadêmicos e acadêmicas da Academia Paranaense de Letras no Café da Manhã do mês de novembro para deliberar sobre diversos assuntos da Pauta organizada pela presidente. Para tanto, registraram suas presenças os seguintes acadêmicos: Chloris Casagrande Justen, Antonio Celso Mendes, Ário Taborda Dergint, Ernani Straube, Antonio Carlos Carneiro Neto, Nilson Monteiro, Eduardo Rocha Virmond, Rui Cavallin Pinto, Flávio Arns, Ernani Buchmann, Marta Morais da Costa, Albino de Britto Freire, Maria José Justino, Cecília Helm e Ricardo Pasquini e, como convidado o jornalista Sandro Moser, da Gazeta do Povo e o violonista, representando o acadêmico Paulo Torres para a programação Música, bela Música. Justificaram sua ausência os acadêmicos: Adélia Maria Woellner, Clotilde Germiniani, Darci Piana, João Manoel Simões e René Ariel Dotti. Com início, às 9:00 horas, em uma agradável confraternização, todos participaram da degustação do Café da Manhã de Novembro. Ao abrir os trabalhos, a presidente e tomando as determinações da Pauta, a presidente justificou as precárias condições técnicas da aparelhagem de som do estabelecimento, o que impossibilitou a apresentação do Hino do Paraná. Dando continuidade à temática da Pauta, presidente convidou o acadêmico Ernani Straube  para a leitura  do Credo Acadêmico e, após leitura  e o juramento saudou os acadêmicos presentes felicitando-os pela participação intensa nas Comemorações da Abertura das Comemorações do 80º Aniversário da Academia Paranaense de Leras e XI Encontro das Academias de Letras do Paraná, realizado nos dias 23, 24 e 25 do mês de setembro próximo passado, salientando-se o congraçamento de todos e o convívio estimulante em torno da cultura de nosso Estado. Em seguida a presidente concedeu a palavra ao acadêmico Ernani Buchmann, que teceu elogiosas referências  ao acadêmico  René Ariel Dotti  e, justificando a sua ausência, ressaltou o seu  pronunciamento referente  à ocupação do prédio histórico da UFPR, destacando o fato como uma legítima manifestação de autoritarismo estudantil, ao término do quê a presidente convidou a acadêmica Marta Morais da Costa para apresentar sua proposta de uma programação literária,  com os estudos solicitados pela presidente, para que a acadêmica  elaborasse um projeto permanente de Literatura, como parte integrante da programação das Comemorações de 80º Aniversário da Academia Paranaense de Letras, passando a cumprir uma das finalidades estatutárias da Academia. Os estudos já aprovados pela presidente, resultaram no projeto, “I Simpósio da Literatura do Paraná”, que tem   como Tema Central: – Existe uma identidade literária paranaense? ” Com essas preliminares, a acadêmica Marta Morais da Costa  passou a expor o desenvolvimento do projeto a ser implantado nos meses de fevereiro ou março do próximo ano, com a proposta de três momentos em  cada um dos simpósios e um Diploma ao seu final, simpósios que deverão ser formados por escritores de sucesso, intelectuais  de alto destaque, além dos acadêmicos da nossa Academia, tendo recebido elogios pelo acadêmico Ernani Buchmann que, com um aparte pertinente, propôs a inclusão no Simpósio, de um painel evolutivo e histórico dos grandes autores paranaenses, no que foi seguido pelo acadêmico Nilson Monteiro que completou a proposta, sugerindo que, além da participação dos escritores da própria Academia, o Simpósio deverá criar a possibilidade de convidar grandes literatos nacionais para os painéis em debate, apoiado pela  colaboração do acadêmico Flavio Arns, que destacou a importância de a  APL incluir nesse projeto um tratamento de incentivo e divulgação da literatura  entre as crianças e adolescentes, incentivando a produção de textos literários entre os jovens ao que houve uma demonstração das interessantes colaborações das Acadêmicas Maria José Justino e Cecília Helm que, a partir de então, integraram-se às  atividades do Projeto. Tomando a palavra, o acadêmico Ricardo Pasquini justificou o seu aparte, considerando haver um assunto mais urgente a ser tratado: – a não participação da Academia no problema da invasão dos colégios, aparte que proporcionou novos pronunciamentos, revelando a posição unânime dos acadêmicos presentes, de repúdio às invasões, confirmando a destorcida formação moral dos vândalos sem bandeiras humanistas e nenhuma visão ética para a construção de uma sociedade promissora de alta cidadania.  Com um aparte sobre o assunto, o acadêmico Rui Cavallin Pinto passou a destacar a sua contribuição à História do Paraná, apresentando trabalhos sobre os setores administrativos do Estado, buscando suas   raízes e desempenhos,  ao que a presidente, após os elogios necessários,  retomou a direção dos trabalhos, abrindo campo para a participação dos acadêmicos Ario Taborda Dergint manifestando-se igualmente sobre a ignorância das manifestações, inclusive quanto à pronunciamentos, questões e legislaturas tratadas nas manifestações divulgadas. O Acadêmico Flavio Arns e sua preocupação com as propostas e tratamentos pedagógicos de alunos, adolescentes e professores em ações totalmente inadequadas, verdadeiras agressões à Educação, bem como os pronunciamentos das acadêmicas e demais acadêmicos presentes ao Café da Manhã. Tendo em vista  o adiantado da hora, a presidente, passou a sintetizar os pronunciamentos  de todos e de cada um, concluindo  serem todos os acadêmicos da Academia Paranaense de Letras, à uma só voz, totalmente contrários à posição degradante dos invasores da Universidade Federal do Paraná, fixando, na oportunidade, sua total indignação à barbárie de jovens e adultos, alunos, pais e professores  na invasão de colégios e no prédio da UFPR, Universidade – símbolo do processo cultural do Estado,  representativo de gerações de conquistas e lutas pela igualdade em busca do aperfeiçoamento humano. Usando da palavra o Acadêmico Eduardo Rocha Virmond, recorrendo aos Estatutos, alertou os presentes para a Abertura do processo de Eleição da nova Diretoria – gestão 2017/2018. Ultrapassado o horário previsto para o Café da Manhã, e nada mais havendo a tratar, a presidente encerrou a sessão com os agradecimentos à participação de todos, afirmando que a presente Ata, após lida e aprovada, será assinada pelo secretário e pela presidente da Academia Paranaense de Letras

 

Chloris Casagrande Justen                  Antônio Celso Mendes

Presidente                                            Secretário

Publicado em Atas