O Ministério Público quer tirar de circulação o Dicionário Houaiss

O Ministério Público Federal de Minas Gerais ajuizou ação civil pública para a retirada de circulação, suspensão de tiragem, venda e distribuição do Dicionário Houaiss, por conter expressões pejorativas e preconceituosas, com relação à palavra cigano. Conforme registra a denúncia ministerial, entre outros significados, o dicionário atribui à nomenclatura mencionada o sentido correspondente “àquele que trapaceia, o velhaco, o burlador”, como também, àquele que “faz barganha, que é apegado ao dinheiro, agiota, sovina”. A denúncia informa que a investigação relativa ao dicionário remonta a 2009, e que foi provocada por iniciativa de um cigano, que acusou o preconceito contra sua etnia, composta de cerca de 600 mil ciganos no Brasil. Várias editoras já foram notificadas, bem como expedida recomendação para a retirada do famoso léxico das expressões pejorativas e preconceituosas que ele contenha, relativas ao verbete.

Luís Guilherme Bergamini Mendes, administrador do site da APL, é Engenheiro de Computação formado pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Mantém o site da APL desde 2001.

Publicado em Geral