Pronunciamento do Prof. Antonio Celso Mendes por ocasião das Homenagens prestadas aos Profs. Sebastião Ferrarini e Clemente Ivo Juliatto, no dia 4 de setembro de 2014.

Primeiramente, ao ensejo de nosso temor ao transcurso do tempo, vamos nos lembrar das sábias palavras de S. Paulo em sua carta aos filipenses: “Meus irmãos, estejais sempre alegres em vossas vidas no Senhor; repito, alegrai-vos…fazendo tudo o que é bom e digno de elogio, o justo, o puro, o honesto e o amável”, que são sinais seguros de nossa confiança na graça em nossa fé, alimentada continuamente pela luz do Espírito Santo, que sempre, em qualquer circunstância, nos acompanha e nos gratifica com Seus dons e Sua inspiração.

Dessa forma, o momento se faz oportuno para realçarmos a importância que assume uma instituição cultural criada para dar uma resposta cristã às inúmeras ameaças que representam todos os tipos de distorções e radicalismos que desde sua fundação e ainda hoje estão em atuação, sejam eles ateus ou confessionais, tentando impor práticas  danosas à liberdade das pessoas. Desde o momento de seu surgimento, o Círculo permanece fiel às lideranças que o inspiraram, como o Pe. Luiz Gonzaga Miele, Liguaru do Espírito Santo, Bento Munhoz da Rocha Netto, Euro Brandão e Roaldo Amundsen Koehler, entre tantos outros.

Portanto, ao ensejo de seus 85 anos de existência, o Círculo de Estudos Bandeirantes, tem justos motivos para comemorar com destaque o transcurso da data, tendo deliberado prestar merecidas homenagens, concedendo o título de Sócios Beneméritos da Instituição, aos professores Sebastião Ferrarini e Clemente Ivo Juliatto, dois baluartes na sustentação e funcionamento do Círculo, desde longa data.

O primeiro homenageado de hoje, prof Ferrarini, possui uma longa folha de serviços dedicados à educação e à cultura do Paraná, o que faz dele um destaque em sua geração, pelo trabalho e labor literário que promoveu, durante os longos anos em que esteve à frente de suas atividades, como educador e sociólogo, participando e intervindo em muitos assuntos de interesse de Curitiba e do Estado.

Assim, exerceu o magistério universitário em diversas escolas superiores do Estado, como a Faculdade de Ciências e Letras de Paranaguá, da PUC/Pr, da Faculdade Plácido e Silva, da Fundação de Estudos Sociais, etc. O prof Ferrarini foi admitido no Círculo de Estudos Bandeirantes em 1968, pelo saudoso prof Liguaru do Espírito Santo, e a partir de 1973, passou a exercer o cargo de Bibliotecário e Diretor. A partir de 1982, foi eleito vice-presidente e depois, com o CEB integrante da PUC/PR, passou à função de administrador.

Escreveu as seguintes obras, enriquecendo assim o acervo literário do Estado:

-Estudo sobre a vida e a obra do Presidente Faria (1971)

-A escravidão negra na província do Paraná (1971)

-A Imigração Italiana no Paraná (1973) e em Colombo (1979)

-Símbolos da República e do Estado do Paraná, como contribuição ao ensino de Moral e  

  Civismo, em todas as esolas do país (1976)

-História do Município de Campina Grande do Sul, por ocasião do seu centenário (1985)

O prof Ferrarini pertence à Academia de Letras ‘José de Alencar’, cadeira nº 30; ao Centro de Letras do Paraná; à Academia de Curitiba e da Academia Sul Brasileira de Letras, Seção do Paraná, o que demonstra bem o vigor da suas atividades literárias.

Em destaque, o Círculo tem muito a agradecer a contribuição desprendida do Prof Ferrarini, que por longos anos dirigiu a administração da sede do Círculo, zelando, como um pai que deseja o crescimento e a emancipação de um filho querido, dando toda sua inteligência e dedicação para que o Círculo fosse hoje e cada vez mais, o defensor intransigente dos ideais cristãos, que ele sempre encarnou com fé e presença constante na Igreja. Figura de elevados padrões morais, o prof Ferrarini tem sido exemplo de compostura profissional, tendo tido papel de destaque na Comissão Estadual e Moral e Civismo, cuja missão foi despertar os ideais sadios de cidadania e patriotismo.

Já o Prof Dr Clemente Ivo Juliatto, reitor da PUC/Pr por quatro mandatos, é detentor da cadeira nº 17 da Academia Paranaense de Letras, como quarto ocupante, tendo sucedido ao ocupante anterior, o prof Euro Brandão, de saudosa memória. Em seu labor intelectual,.soube se estacar como uma liderança  cristã consciente, produzindo obras de alto relevo dourinário e pedagógico, sempre voltado a uma preocupação pela qualidade do professor em sala de aula, sua capacitação profissional fundada em sólidos princípios éticos e cristãos. Nesse sentido, são suas obras de destaque:

Um jeito próprio de educar: a formação cristã na PUC/PR (2002)

Um jeito próprio de cuidar: reflexões e propostas para a área da saúde (2005), como contribuição ao período em que foi gestor da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba.

-A Universidade em busca de Excelência: um estudo sobre a qualidade da educação (2005)

-Ciência e Transcendência  no qual desenvolve com competência e lucidez, os atuais problemas da doutrina cristã face o avanço das ciências experimentais (2012).

Assim, por sua iniciativa, a PUC/PR está liderando uma frente de publicações de revistas em língua estrangeira, como integrante nos esforços para a internacionalização de nossas instituições de ensino superior, conforme registra o suplemento editorial ‘Vida na Universidade’, do jornal Gazeta do Povo, em sua edição de 25 de agosto último. Por tudo isso, nosso caro irmão Clemente exerce uma liderança católica transformadora, necessária para neutralizar os impulsos influentes do marasmo que cerca nossas instituições culturais.

O Círculo, tal como está, guarda a ação dedicada desses dois homenageados, como um registro concreto de que seus esforços não se deram no vazio, e cuja continuidade não desejamos que esmoreça, dado que o Círculo já faz parte da história cultural de nosso Estado, e agora sob a tutela da PUC/PR, segue firme em sua vocação na defesa dos ideais cristãos.

Publicado em Geral